Wandering night

Sunday, January 29, 2017SilverTree


Passear ao cair da noite, bem enrolada em casacos e cachecóis. Jantar sozinha no canto do costume, como de costume cá fora a ler, apesar de se estar nas noites mais frias do ano. Visitar a Sá da Costa, cujas salas interiores me lembram sempre a biblioteca onde aprendi a gostar de livros e a querer saber mais. Percorrer, a caminho do barco, as ruas secundárias, sempre generosas em pequenos tesouros.

Wandering at dusk, buried in coats and wooly scarves. Dining while reading in the esplanade of one of my favorite spots, even if it was one of the coldest nights of the year. Go to Sá da Costa, the bookshop that always brings me back  to the private library where I learned to love books, curiosity and knowledge. Choosing, on my way home, to go through the side streets, always generous with their unattended treasures.

The bookshop at night

Sunday, January 29, 2017SilverTree
The Bookshop at night
The Bookshop at night
Lisboa | Janeiro 2017


Gosto de espreitar as montras das livrarias à noite, e tentar surpreender os livros nos seus diálogos secretos. A Paula perguntou-me se ouvi alguma coisa - eu acho que eles chamam sempre por quem os escuta com atenção.

I love peeking into bookshop windows at night, trying to surprise the books at their secret conversations. Paula asked me if I heard anything - I think they always call those who are willing to listen carefully.

Terra

Sunday, January 29, 2017SilverTree
Lisboa | Dezembro 2007


   Associo o Terra, restaurante vegetariano escondido perto do Príncipe Real, a férias e ocasiões especiais, a passear devagar em sentido contrário a quem sobe para a noite, e a noites que se querem longas. O buffet, variado e bem conseguido, é uma prova de que a comida vegetariana não tem de ser nem chata nem pretensiosa. É uma questão de entusiasmo e bons temperos, e o Terra tem-nos, acho eu, a ambos. É um lugar para comer devagar, provar de tudo, para para conversar um bom bocado depois da refeição ter acabado e aproveitar o ambiente, que vale só por si, muito acolhedor e tranquilo, com um bom gosto na selecção e volume da música que é raríssimo hoje em dia.
   Lembro-me que fui lá pela primeira vez numa noite quase no fim do ano, numa altura em que a vida estava a mudar e a melhorar muito, e sentia uma alegria optimista mas serena em relação ao novo ano, o que não é de todo alheio ao tipo de relação que criei com o restaurante. Regressar ao Terra é também regressar a esse fogo interior e a essa sensação de possibilidade, e é sempre o começo de noites que se adivinham longas e especiais.

Janeiro

Sunday, January 29, 2017SilverTree
This year I was a very happy birthday girl
Lisboa | Janeiro 2017


O meu mapa interior de Lisboa é (como serão os mapas interiores de toda a gente), pequeno, incompleto, feito de omissões estratégicas, lacunas incompreensíveis e repetições sentimentais. Outros aniversários tiveram no seu centro outras raízes; mas neste ano em que trabalho num lugar demasiado inho, e em que o meu contacto com a cidade se resume a aulas cansadas ao fim do dia e ao caos insustentável do metro, quis voltar com tempo à Cidade que está no coração das minhas Raízes Imaginárias - mesmo com o dito metro, as obras intermináveis, os mares de gente. Tenho até saudades de cortar caminho a custo entre a multidão na Baixa, para não perder o barco.
Assim, nos meus anos voltei aos caminhos e rituais que nunca me canso de repetir. Jantei no Terra e passei uma noite no Pavilhão Chinês a conversar sobre o que 2017 nos poderá trazer; desci o Bairro Alto, devagar e em sentido contrário; comentei pela milionésima vez como São Pedro de Alcântara à noite me lembra um quadro do Renoir; passeei na Sá da Costa; jantei sozinha num dos meus cantos favoritos da Baixa, como sempre na esplanada, a ler, irredutível contra um dos dias mais gelados do ano. E cada regresso é respirar um pouco mais fundo, ter um pouco mais mundo.

Trinta e três

Thursday, January 5, 2017SilverTree
Lisboa | Dezembro 2007

2017

Wednesday, January 4, 2017SilverTree
Untitled
céus e luz
céu
Montargil - Ponte de Sor | Dezembro 2006


Tempo de céus e de luz.

Céus de Dezembro

Tuesday, January 3, 2017SilverTree
December skies
December skies

Dezembro 2016



"Skies and trees have a special place in my heart, but at the end of every year the roots of that place grow even deeper, as trees and skies seem to talk to me in a singular language, one of beginnings, and light, and things slowly growing in silence. December skies are special, and even more so after the Winter Solstice. January is just around the corner." - Escrevi originalmente aqui.

Popular Posts

Contact Form